segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Relacionamentos 3-3

Porque as esferas se separam?
As esferas lisas e redondas, tal como a evolução constante do mundo em, que vivemos, só querem, rolar e andar.
Para onde? Velocidade? Sozinhas? Ou acompanhadas?
Elas tem apenas  que rolar.
Uma das maiores derrotas das esferas, é a solidão.
Nenhuma esfera gosta de estar sozinha ou não ser apreciada. Toda a esfera tem que receber um feedback de significância de outras ou das sociedades onde está inserida. Tem que sentir apreço ou entra em revolta/ conflito interno.
Mas então o que leva a separação?
Perante um estudo que fiz no desenrolar dos anos, para tudo existe 2 razões e consequentemente destas, surgem mais duas razões ou consequências, para cada uma delas, e assim sucessivamente.
Desta forma se vai divergindo por vários fatores, até convergirem naquele “grão de areia”.
Pois então vejamos o mais usual.
Duas esferas juntas por um magnetismo sinergético que ninguém consegue separar.

Por razões profissionais:
Uma ou ambas, separam-se temporariamente, voltando a unirem-se no final do dia ou assim sempre que possível. Quando se juntam, inicialmente, coexiste uma vontade louca de estarem juntas e partilharem as experiencias passadas, durante o tempo que estiveram separadas. Uma grandiosa “sede” de sentirem a união restabelecida - este é o objetivo.

Cenário profissional 1:
Quando se voltam a juntar, trazem historias, novas ideias e vontades de como criarem novos inputs. De forma que o “vulcão” esteja sempre ativo e a “lava” aqueça aqueles momentos. Como sendo momentos únicos.

Cenário profissional 2:
Quando se voltam a juntar, trazem novas historias, novas ideias e vontades, mas elas não são correspondidas por uma das esferas.
Acontece uma vez - “deve existir alguma razão plausível para tal e foi só desta vez”. Mas quando volta  acontecer … e mais outra … e ainda mais outra. Aqueles momentos únicos, agora são momentos padronizados. A desmotivação e o desinteresse passa a fazer parte do léxico sentimental.

Por razoes pessoais:
As duas esferas, comunicam diariamente e com uma periodicidade elevada. Isso faz o sentimento de entreajuda e de companheirismo preencher todos os espaços que possam a vir existir entre as duas esferas.

Cenário pessoal 1:
Essa comunicação é essencial para ambas, de forma a reconforta-las, com tudo que se vai deparando no seus caminhos.

Cenário pessoal 2:
Essa comunicação não existe, como tal, os laços que tinham sido criados, passam a decair. Sem comunicação deixa de existir novos inputs ou o alimentar daqueles já existentes e a rotura passa a estar eminente.

Todo o relacionamento depende da comunicação e da forma como ele evolui. Comunicar só por si nao tem significado nenhum, pois a qualidade e o enriquecimento dela é que é importante.
  
Por vezes uma esfera, evolui constantemente. Novos interesses, novos matérias, uma vontade enorme e insaciável de novos conhecimentos. Como alguém já o disse: “O conhecimento não ocupa espaço.”
Assim o é, e esse esfera vai encontrar novos objetivos e desafios, de forma o sentir-se viva e útil. Consigo mesma.
Se a outra, perante o seu tipo psicológico, não fizer nenhum esforço, para evoluir e acompanhar, de certa forma a outra esfera, a continuidade desse relacionamento, vai passar a sofrer varias lacunas.
A conversação, por vezes deixa de ser uma linguagem clara, devido aos assuntos abordados. A falta de enriquecimento, do que se fala e o que se subentende.
Esse relacionamento passa a ser uma metáfora infundada.
As duvidas aumentaram por cada palavra que é proferida.
As certezas, porem, são aquelas duas esferas inseparáveis, que passam a viver um mapa mundo em sentido opostos.

Sugestão:
Nunca deixe de comunicar. Nunca deixe de evoluir. Todo o relacionamento necessita de novos inputs, novas ideias, novas criatividades.
Dê uso à imaginação e tire proveito do dão que por ser humano tem. Tire proveito da sua capacidade de raciocínio.
Dê apresso ao “outro” e respeite-o.
Se em alguma altura sentir que uma das esfera está a entrar num sentido mais comodo, incentive-a a deixar esse trajeto e reencaminhe-a a novos conhecimentos, evoluções, novos desafios.
Não viva do passado. Esse só serviu para lhe dar aprendizagem e tirar lições da vida.
Viva o hoje. E tudo que fizer dele, vai ser os resultados do futuro. Projete o que quer.

Tenha um bom relacionamento.

1 comentário: