Be You - Act Today

Be You - Act Today
Linha de pensamento: "Somos o que pensamos e tornamo-nos no que fazemos." Paulo Renato

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Procrastinação



Este é um “palavrão” que custa muito caro. Tendencialmente conduz pessoas ao desespero, desmotivação e um dos grandes causadores da depressão.
 
Procrastinar é adiar constantemente aquilo que sabe o que tem de fazer. Acredito que muitas das vezes, sabe o que fazer, mas nem sempre faz o que realmente sabe.
 Então o que é que está a falhar?
Tomar uma decisão.
 
Daí a importância de se ter um Coach, não porque lhe vai dizer algo que não saiba já (possivelmente), não porque o vai conduzir por um caminho que já o conheça, mas porque em conjunto, se vai criar estratégias e quebrar o paradigma da procrastinação e fazê-lo/a agir.
 
É neste momento (como já o disse noutras alturas), que usualmente aquela simples palavra com apenas 4 letras, funciona como limitador, (ainda agora acabei de a dizer, mas num sentido mais racional. Vamos então aplica-la numa perspectiva mais emocional).

Pense por um momento numa situação que gostaria de mudar na sua vida e que tem de tomar uma decisão quanto a isso.
Agora questione-se: “COMO?”
Normalmente quando introduz o “como” relativamente a um assunto ou situação que está "emocionalizado", é quando toda a sua visão parece ficar turva; os pensamentos positivos ou o raciocínio lógico, parece desaparecer ou focar-se apenas naquilo que não quer; por vezes o sentimento de angustia ou de desespero, parecem tomar conta de si. Costuma acontecer-lhe algum destes resultados?
Pois bem, vou deixar-lhe aqui uma estratégia que o/a poderá ajudar a tomar decisões mais facilmente e corromper o hábito de procrastinar:
  1. Seleccione o que quer mudar, transformar ou alterar;
  2. Escreva quais as várias opções que o seu conhecimento e experiência, lhe tragam como o caminho a ser tomado;
  3. Das várias opções, vai escolher aquela que lhe pareça a melhor. Pode igualmente escolher uma outra, que poderá funcionar como alternativa. Neste passo, pode ainda fazer um exercício muito simples:         
    (Criar uma 3ª opção, com a junção da opção A e B, fazendo a opção IDEAL)
  4. Há opção que determinar ser a melhor, escreva agora as razões que farão assumir o compromisso. Invoque as razões racionais e principalmente as emocionais. Quando estiver atribuir as razões, englobe desde já, os seus ganhos ou recompensas que obterá se tomar esse caminho. Se assim o entender, crie uma história mentalmente ou escreva, de como essa opção ganha força com a tomada de decisão e até onde pode chegar, daqui a 10 anos, (este é o momento certo para dar largas à sua imaginação e deixar-se alimentar pelos seus sonhos e como os pode tornar realidade).
  5.  Neste momento, acha que já tem tudo para tomar a decisão? Possivelmente de um modo como nunca antes se sentiu, tão cheio de recursos pessoais, para o fazer.
  6.  FAÇA-O. Passe há ACÇÃO.

    Sabe que existe uma enorme diferença entre ter a intenção e passar a agir (ir ao ataque).

    Todo o tempo que desperdiçar a pensar mais, vai ser aproveitado para com que a procrastinação ou o seu hábito antigo de adiar, delimite os seus pensamentos e novamente voltará a ser abalroado por todo o tipo de desculpas, que tem alimentado o seu insucesso.

    Passe imediatamente ao ATAQUE!

    Paulo Renato

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Hierarquização de Valores



Já alguma vez questionou-se, se as pessoas que estão ao seu redor, tanto ao nível pessoal e profissional, serão aquelas que a poderão ajudar, a ser aquela pessoa que sempre sonhou ser? Pelos vistos, fazem toda a diferença para o seu resultado desejado.
Já dizia Jim Rohn: “Nós somos a média das 5 pessoas com quem passamos mais tempo.”
Mas será que este pensamento pode ser interpretado como correto? Pode ser interessante descobrir isso na sua vida e como os outros criam transformações em si, na maneira como poderemos pensar, sentir e agir. Vamos lá tentar. 
  • Quando está com determinadas pessoas que costumam reclamar de tudo e todos, pense para si, se acaba por adoptar esse comportamento, nem que seja momentâneo;
  • Quando anda com pessoas que se vestem e/ou tem uma alimentação mais descuidada, a sua tendência é de seguir o exemplo dos outros;
  • Quando o seu grupo de amigos, são aquelas pessoas que tem uma perspectiva do lado positivo de qualquer situação que se deparem, sente-se contagiado/a e parece que a solução está sempre do seu lado;
Interessante concorda?
Acha que pode ter chegado o momento de aprimorar as suas escolhas? Afinal de contam são apenas 5!
Mas com que referencias é que vai orientar-se?
A resposta é muito simples. Já alguma vez empenhou-se a descobrir qual a sua hierarquização de valores?
Usualmente quando de fala de hierarquia de valores, associa-se de imediato aos religiosos, éticos ou morais, estéticos, lógicos, vitais e os úteis, mas neste caso não é perante esta perspectiva que estou a abordar, mas sim os seus pessoais.
Daí, quais são os seus valores e em que posição os coloca na sua hierarquização?
Quando tiver reconhecido e posicionado os seus valores pessoais, vai perceber porque afinal de contas se identifica mais com algumas pessoas.
Agora sim, pode fazer uma lista dos seus amigos, colegas, pessoas com quem passa mais tempo e dar uso ao maior poder que tem, enquanto ser humano: utilizar a capacidade de raciocínio e tomar a opção de com quem quer passar mais tempo. Após ter chegado à opção, agora é só tomar a decisão de juntar-se aqueles que identifica-se mais e que possam ajudar acrescentar valor a si e afastar-se daquelas que nada acrescentam e ainda por cima possam funcionar como limitadores ou como costumo dizer: “coveiros”.

Já alguma vez questionou-se, sobre as pessoas que estão ao seu redor?

Paulo Renato