quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O vendedor de sonhos

   
    "Trabalhamos, compramos, vendemos e construímos relações sociais; discorremos sobre política, economia e ciências, mas no fundo somos meninos brincando no teatro da existência, sem poder alcançar sua complexidade. 
    Escrevemos milhões de livros e os armazenamos em imensas bibliotecas, mas somos apenas crianças. Não sabemos quase nada sobre o que somos. 
    Somos biliões de meninos que, por décadas a fio, brincam neste deslumbrante planeta"

Extraído do Livro "O vendedor de sonhos" de Augusto Cury

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Porque não avança na vida?!?



Usualmente quando alguém tenta alcançar um objectivo que tinha definido e dado as conhecer a “sete ventos” e não consegue atingi-lo, transforma-se numa metralhadora de desculpas, dispara para qualquer lado justificando-se sobre qualquer coisa que se mova ou num “Sniper” – com uma objectividade muito precisa – em que a razão é exactamente aquela (aquele ponto), por não ter conseguido atingir.

Na verdade toda a gente tem sonhos e/ou objectivos a atingir (aqueles que não os tem, inconscientemente, entram num estado de depressão/frustração – de incompreensão de si mesmo ou de tudo que lhe acontece e até mesmo de sua existência, colocando-se numa crise existencial – como diz um psicólogo amigo), mas a palavra MEDO é o arame – por vezes muito fino – que não deixa as pessoas avançarem, seja no que for.

Não estou a querer dizer com isto que o “medo” é algo que não se deva ter, pois ele é preciso para nos colocar alerta e fazer-nos sentir gloriosos quando o superamos.

Mas saber e conseguir controla-lo é fundamental para se avançar, seja no que for na vida. Transformando esses momentos emocionais em mentais e seguindo o rumo traçado – estar equilíbrio com a respiração, batidas do coração e focos direccionado no que quer.

Quando me refiro ao MEDO, ele pode ser tanto no segmento do sucesso como no insucesso, vejamos o esquema: 




 Para aqueles que tem medo de falhar ou errar e pensa que isso só acontece consigo? Pois tenho a dizer-lhe que isso acontece a quem tenta e não conheço ninguém de sucesso que nunca tenha fracassado, falhado ou errado. Bem pelo contrario, a existência do InSucesso na vida de um individuo é sinonimo que persistência e de que não se deixa ir ou ficar ao “sabor da maré” e a sua tenacidade e resiliência vão conduzi-lo ao Sucesso.

Tomando este esquema como principio e lembrando-nos da Parábola dos Talentos, o mais indicado a fazer é:
  •      uma lista daquilo que pensa ser as suas qualidades e potenciais;
  •      definir o que realmente deseja;
  •      esquematizar um plano de acção bem estruturado

E PASSAR AO ATAQUE!

Se atingiu o Sucesso desejado, faça uma nova lista com a realidade actual, desenhe tanto próximo objectivo como o próximo passo. Este não tem de ser de tamanho gigante, pois penso que não o seja. Siga a mesma estrutura e associe-se a quem juntamente consigo, possam atingir o tal passo de gigante.

“O melhor seria dizer que uma vitória não é nada mais, do que o resultado inevitável de uma sequência de fracassos devidamente reavaliados e corrigidos . . . Porque o verdadeiro vencedor, não é aquele que vence todas as tentativas, mas quem apesar de sucessivas derrotas, jamais deixou de tentar . . . Assim concluímos que não existem verdadeiros perdedores, mas sim, pessoas que deixaram de tentar muito cedo e por isso nunca chegam a vencer . . . Porque a vitória é somente o resultado de inúmeras derrotas somadas, devidamente reavaliadas e corrigidas . . .
                                                                                                               Edna Goetten

Arrisque, ninguém sabe o resultado até ter tentado.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

O que nunca dizer numa entrevista




Numa entrevista de emprego, as perguntas feitas pelo recrutador podem ser clássicas, mas as respostas dadas pelo candidato não. Fugir ao senso comum e ser autêntico, de facto, é a chave para se conseguir destacar nesta etapa do processo de selecção.
Na meta de mostrar quem se é de verdade, há quem perca o bom senso e descambe para assuntos, frases e posturas inadmissíveis quando o que está em jogo é o seu lugar para aquela vaga. Verifique as frases (e consequentemente, respostas e atitudes) proibidas durante a entrevista de emprego:

Erros de português
É comum que, em momentos de extremo nervosismo, alguns tropeções no português aconteçam. Mas isso, jamais, deve ser a regra. Segundo especialistas, todos os candidatos precisam ter atenção redobrada ao conjugar verbos ou, simplesmente, ao pronunciar algumas palavras.
Com isso, fique atento para não rechear seu discurso com concordâncias verbais ilógicas e vícios de linguagem.

Dizer mal do chefe anterior
"O meu ex-chefe era muito controlador (ou mal amado ou chato ou incompetente) ou qualquer outro adjectivo negativo para quem dominava a batuta na sua antiga empresa. Falar mal do chefe ou da antiga empresa é, de longe, um dos piores erros em uma entrevista de emprego.
Pode sempre demonstrar que você não soube fazer boas escolhas de carreira. Foque o seu discurso em como desempenhou sua função e nas situações que acrescentaram valor à sua carreira.
A sugestão é: se o descontentamento com o chefe e emprego anterior estiver latente, mantenha se calado.

"Em cinco anos quero estar no seu lugar"
Alguma ambição marca sempre alguns pontos a favor do candidato. Mas um tom de agressividade, de interesse para além da conta e até de vocação para "puxar o tapete do outro" assustam. E muito. "Cinco anos é um prazo muito pequeno. No mínimo, pode mostrar que você não tem paciência".

"Aqui é uma boa empresa para começar minha carreira"
Atenção extra para não demonstrar que você vê esta oportunidade como um mero trampolim profissional.
Você não pode pensar que a empresa vai apenas te dar um bom nome no currículo para abrir portas noutra companhia. Não pode pensar, muito menos argumentar isso na entrevista.

Inventar valores
Quando questionado sobre valores de mercado e estatísticas, cuidado para não inventar. Mentir nunca dá resultado numa entrevista de emprego.
Chutar alto ou baixo demais pode mostrar falta de noção do contexto de mercado onde sua a profissão está inserido.
Na dúvida, admita que não tem ideia dos números exactos.

"Eu preferia outro trabalho mas chamaram-me para este e resolvi tentar."
Demonstrar interesse é essencial. Desdenhar da oportunidade, no entanto, é um erro crasso do candidato. Ninguém quer recrutar alguém que não gosta do que vai fazer. Por isso, é fundamental mostrar foco na hora da entrevista. Se você quer muito outra área, não deve sequer ir a uma entrevista para um tipo de trabalho que não quer.

Fazer demasiadas perguntas
A nova geração de entrevistas de emprego abre espaço para que o candidato também faça perguntas e perceba melhor a que tipo de vaga se está a candidatar. Cuidado para não exagerar e colocar o recrutador contra a parede.
A entrevista não é o momento para discutir políticas internas da empresa. Questões ligadas à legislação e negociação salarial deve ficar para um segundo momento.